Colorimetria: por que você precisa entendê-la?

A colorimetria pode beneficiar o trabalho de um micropigmentador em muitos níveis, quando usada da maneira correta. Leia mais e saiba como melhorar os resultados e qualidade dos seus procedimentos.

Para quem trabalha com serviços tão delicados quanto a beleza de nossas clientes, a colorimetria é fundamental no fornecimento de um serviço confiável, seguro e de acordo com as necessidades e objetivos da clientela focada em procedimentos como a micropigmentação, entre outros que exijam a coloração de cabelos e pelos.

O mercado de estética e beleza no Brasil é um dos mais lucrativos e, consequentemente, competitivos. Daí a importância em se atualizar e capacitar continuamente em sua profissão.

Por isso, neste post, falaremos sobre a importância da colorimetria e como aplicá-la em seu dia a dia profissional. Confira!

O que é a colorimetria?

A colorimetria analisa as cores de cabelos e pelos nos seres humanos e as possíveis combinações para modificar essa cor.

Para entendê-la, as pessoas devem aprofundar seus conhecimentos no DNA que dá toda a base e estruturação de sua profissão: a origem das cores.

As cores azul, vermelho e amarelo são chamadas de primárias, pois são utilizadas para criar outros tons. São nomeadas assim pois são cores existentes na natureza e em organismos.

O amarelo, por exemplo, é encontrado na feumelanina, o vermelho, na tricosiderina, e o azul, na eumelanina.

Ao misturarmos o amarelo com o vermelho, por exemplo, temos o laranja; o amarelo com azul resulta em verde; e o vermelho com azul, em roxo. Sendo assim, as cores laranja, verde e roxo são chamadas de secundárias e, a partir delas, criamos as terciárias.

No processo de coloração das sobrancelhas, é necessário analisar a tonalidade de cada pessoa. Ao entrar em contato com os pigmentos naturais, poderá ocorrer uma pequena modificação de cor, levando a entender por que o tom da tintura pode variar de pessoa para pessoa.

Qual é a sua importância?

Conhecer as cores e saber como usá-las é essencial para profissionais que trabalham com pigmentação de sobrancelhas. Ao dominar a teoria das cores, você aumenta as possibilidades de controlar os resultados de cada procedimento, atingindo, e até superando, as expectativas de suas clientes.

Cada cliente tem objetivos e necessidades distintos, por isso, ter o conhecimento da colorimetria é essencial para garantir os resultados desejados.

Como funciona?

O que fazer, por exemplo, para neutralizar uma sobrancelha com tom amarelado? O processo ocorre a partir da combinação de uma cor secundária (violeta ou roxo) com o amarelo, resultando no marrom. Se o intuito é a correção de tom alaranjado, basta misturar o laranja com azul para alcançar a cor utilizada para correção das cores, que é o marrom.

Mas para compreender o tom ideal de cor de cada pessoa, é importante saber em qual base de cor ela se enquadra.

Como descobrir a base de cor de cada pessoa?

A base de cor de cada pessoa pode ser separada em dois grupos:

Base quente: normalmente, pessoas com pele e cabelos claros e com tendência a ficar com a pele avermelhada após longa exposição ao sol. A mucosa labial e a aréola costumam ter tom avermelhado.

Base fria: pele negra e cor arroxeada após exposição ao sol, com aréola e mucosa labial em tons roxos.

Orientais, por sua vez, podem pertencer tanto à base quente quanto à fria, por isso, é importante identificar algumas características de suas clientes, como a cor da mucosa labial e da aréola.

Dessa maneira, você aprende a lidar com suas clientes de maneira personalizada e com resultados cada vez mais surpreendentes.

Quais assuntos vocês querem ver aqui no blog? Deixe um comentário abaixo!


Caso queira saber um pouco mais sobre o assunto, entre em contato conosco e descubra como aperfeiçoar suas competências e habilidades profissionais!